8 de março de 2012

E o dia da mulher

Hoje é 8 de março, dia internacional da mulher, e eu passei boa parte dele me segurando para não responder cada bombom e parabéns com um "me dá minha parte em salários iguais, direitos reprodutivos e lares seguros", mas convenhamos que se eu quisesse ou soubesse ficar quieta eu não teria um blog, e admito que com algumas pessoas eu comentei o absurdo que é reduzirem a gente a uma flor no nosso próprio dia. Sabe, o tipo de coisa simples que faz as pessoas te colocarem na categoria "extremista feminista" e tal.

Um tempo depois minha amiga me encaminhou um e-mail que ela tinha recebido, me perguntando se era aquilo que meu homem ideal me diria nesse dia. Eu não tenho ele aqui, mas no geral dizia que nós mulheres éramos os melhores "seres" que Deus tinha criado, que éramos superiores e maravilhosas e que esse dia existia para lembrar os homens, a escória (ou algo assim) deviam sempre agradecer por nós estarmos na vida deles.

O engraçado é que muita gente pensa assim. Que o feminismo é isso, que é desse jeito que esperamos que os homens pensem. As pessoas ignoram que se tem algo que todas as feministas concordam, é nos direitos iguais para homens e mulheres. E veja, isso não quer dizer que homens e mulheres são iguais, e sim que eles devem ter direitos, liberdades e deveres iguais.O feminismo no imaginário popular ou é mulheres queimando sutiãs ou o oposto do machismo, mulheres que querem privilégios e subjugar os homens. Eu mesma, antes de ser atingida por ele, pensava nos sutiãs e em uma coisa ou outra sobre liberdade sexual e trabalhar fora de casa - o que é outro nível de desinformação, o que acha que o que tinha para conquistar já foi conquistado e o resto é menos importante, e encheção de saco de gente sem ter muito o que fazer. Aliás, é a categoria em que minha amiga ainda se encontra.

Eu respondi para ela explicando isso, que meu "homem ideal" saberia que não só mulheres não são inferiores nem superiores aos homens, como também não faria geralizações sobre todo um gênero. Disse que ele também não tentaria fazer o dia ser sobre os homens, como o dia é para eles para eles agradecerem por nós estarmos aqui por eles. Ela perguntou se eu acredito mesmo que esse homem existe.

E eu estou escrevendo isso para dizer que sim, e que não acreditar é subestimar todos os homens, acreditar na burrice de todos eles. Estou escrevendo isso para falar que acreditar que mulheres são iguais e respeitá-las é o mínimo que um homem decente faz. E que sim, existem muitos deles por aí. Infelizmente não são a maioria, mas pessoas educadas e inteligentes também não são. E que sim, eu espero conhecer um, e que na verdade não me relacionaria com um homem que não fosse assim.

Não quero terminar um post hoje falando sobre homens, então fica aqui meus parabéns para todas as mulheres que apesar de tudo, estão aí sendo inteligentes, fortes, corajosas, bonitas e delicadas ou qualquer coisa que elas queiram ser. O dia de hoje nasceu com mulheres lutando pelo direitos delas, e continuaremos a lutar e reclamar e enfrentar tudo isso, dia após dia ♥

2 comentários:

  1. Olha, Bruna, eu fiquei numa situação um pouco parecida. Mais por me segurar toda vez que algum cliente chegava no escritório, ou alguém soltava alguma piadinha sobre as mulheres e tals... Dizem que a ignorância é uma benção, talvez seja, talvez não. Nesse caso, eu acredito que a ignorância é um veneno. Veneno porque sem a gente perceber, vai nos dominando por completo até o ponto de nos transformarmos em zumbis, rindo de coisas que não deveriam ser piada e agindo de uma maneira totalmente contraditória ao que se prega como "viver em sociedade".
    Enfim, hoje, mesmo com pouco conhecimento, eu já sei bastante sobre esse tema que muita gente trata com desleixo, por sua causa, por causa da minha irmã que ainda está engatinhando no quesito viver em sociedade, enfim... Abri meus olhos.
    Concordo bastante com o que você falou no texto. As pessoas veem o feminismo como o dragão feroz que quer destruir tudo, leva tudo aos extremos, mas não é isso. No fundo, no fundo, é só mais um monte de gente lutando por algo que já deveria existir: igualdade.
    Bom, não sei se viajei muito no comentário, mas acho que precisava de mais do que um "curti".
    Beijo.

    ResponderExcluir
  2. Até que enfim um discurso feminista auto-critico e repleto de bom senso. Bruna, você me parece antenada com o pós-feminismo (que não é uma nomenclatura muito exata), mas é o grupo de feminismo auto-crítico que vem após a 3ª onda (Anos 90, essa que quer subjugar os homens e cobrar as precatórias de séculos de subjugação, sobre os homens do presente.) Interessante notar é que a maioria das feministas que eu conheço sequer topam discutir o assunto comigo, alegando que não é algo que os homens possam ou devam opiniar. Eu fico triste com isso, pois eu gosto de opiniar. Eu gosto de entender o que vocês mulheres fazem, como se organizam, e como lutam pelos seus direitos. Pelo fato de eu ser vegetariano e ativista eu prego que os animais também tem direitos à vida plena e merecem ter seus interesses e direitos respeitados (Na minha tese de conclusão de curso de filosofia, eu defendo exatamente isto) como eu posso ser contra a emancipação feminina? Contra a homofobia? Contra o racismo? Aliás, não somente sou á favor da liberdade e emancipação de todos os seres vivos senscientes, como também tenho anseios de participar ativamente disso. Não sou uma mulher, não sei o que é ser julgado como isso ou aquilo por causa de uma mini-saia ou decote. Jamais vou saber qual é a sensação de ter um filho gerado por um estupro, ou por sentir cólicas todos os meses. Porém, nada me impede de ser solidário e de me importar, afinal, eu tenho namorada e mãe. Tenho nojo desse bando de trogloditas que se dizem homens e são tão pouca coisa além de ogros que carregam seus pênis como se fosse um tacape. Gente que ainda acha que "ter culhões" realmente diz algo sobre você. Tô cansado de ouvir discussões acerca de gêneros do tipo "ah, mulher é assim", "ah, homem é assim"... É obvio que homens e mulheres são diferentes e não necessariamente complementares, porém, creio ser nessas diferenças - que são biológicas em sua grande maioria, e que por isso não deveriam no meu ponto de vista significar critérios de avaliação social - que se encontra o espaço para a iguadade. Em que espécie de tempo nos vivemos que o poder ainda é dividido por características físicas? Vivemos num mundo de high-school generalizado em que se vc tem o pau grande é o maioral? Mano..sabe...isso cansa. Me cansa ver gente que estuda Kant, Hegel e Marx virar pra mim e falar "Nossa, puta gostosa aquela sua amiga...c tá comendo?", "Não, é só minha amiga.", "Ah, sei, corta essa...você tá pegando a gostosa", "Não cara, ela só minha amiga, a gente troca figurinha, só isso", "Ahan, sei, malandrão...". Ultimamente tenho ficado anti-social e tenho perdido os poucos "amigos" """"homens"""" que eu tenho, pelo simples fato de não aguentar mais ouvir babaquices sobre gênero. E sobre o dia da mulher, Bruna, sim... um dia para comemorar, e 365 dias para lutar pelos direitos de vocês. Parece meio ridiculo um homem querer ser feminista? Talvez... e de fato talvez eu jamais entenda completamente a questão pelo fato de não ser uma mulher, mas isso não me impede de ter os olhos razos d'água, profundo respeito e admiração humana pelas mulheres, e principalmente pelas mulheres que não aceitam serem dominadas nem subjugadas. Talvez um dia eu seja pai, e quem sabe tenha uma filha, e quem sabe ela me mate de tanto orgulho por se recusar a ser o que o mundo diz que ela deve ser...

    Adorei o blog, se puder, passe no meu: http://fagocitandosp.blogspot.com/

    ResponderExcluir